Sexta-Feira, 28 de Fevereiro de 2020

Notícias

Terça-Feira, 11 de Fevereiro de 2020 07:04

Por ciúmes, homem ateia fogo em casa na zona rural

Segundo a polícia, testemunhas afirmam que José Francisco Silva teria ateado fogo após discussão com a esposa. Suspeito teve 40% do corpo queimado e está internado

Um incêndio registrado nesse domingo (09) em uma casa no povoado Raposa, localizado na zona rural do município de Codó, a 290 km de São Luís, deixou quatro pessoas feridas. De acordo com a Polícia Civil, testemunhas afirmam que o incêndio tenha sido motivado por ciúmes.

 

Segundo o delegado Rômulo Vasconcelos, José Francisco Silva de Sousa, teria ateado fogo após uma discussão com uma adolescente de 17 anos, que é casada com ele e está grávida. Ele teria pegado um dos galões de gasolina que eram armazenados na casa e em seguida, começou o incêndio.

 

José Francisco Silva teve 40% do corpo queimado e continua internado no Hospital Geral Municipal de Codó. O suspeito tem passagem pela polícia por violência doméstica. O delegado afirma que novas testemunhas serão ouvidas e caso a versão seja confirmada, ele será indiciado.

 

“Pessoas da comunidade já falaram para a gente que foi incêndio proposital, ou seja, provocado por uma pessoa, pelo próprio dono da casa. Onde ele tem um problema familiar com a esposa e ele teria incendiado a casa. Isso está mediante informes, a gente vai apurar, investigar o suspeito, que no caso é o José Francisco. Ele tem um problema na polícia por violência doméstica, e agora a gente vai conduzir ele do hospital para fazer essa oitiva. Caso a gente identifique realmente que foi um incêndio proposital, ele vai responder por isso”, disse o delegado.

Outra versão

Gardênia Colasso da Silva, uma das vítimas, contesta a versão que está sendo investigada pela polícia. Ela afirma que a filha de 17 anos teria tido uma discussão e chateada, disse atearia fogo na residência. Para tentar conter a esposa, José Francisco tentou tirar a gasolina das mãos da adolescente e ao fazer isso, o isqueiro que estava na sua mão teria atingido o galão.

 

“Quando ele ‘coisou’ o isqueiro, pegou fogo no chão. Do chão ela explodiu para outra gasolina, que tinha uns seis litros que estava dentro de um tambor lá. Não, a gente usa para a moto. Mas aí você sabe que o povo diz que a gente vende, você sabe como é, mas a gente não pode pegar na língua deles”, explicou Gardênia

Fonte: Terra MT Digital

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}