Sábado, 31 de Outubro de 2020

Notícias

Quinta-Feira, 16 de Janeiro de 2020 09:15

União entra na justiça para impedir que cota financeira da Copa do Brasil seja bloqueada.

O União de Rondonópolis, que é um dos quatro representantes de Mato Grosso na Copa do Brasil (Cuiabá, Operário Várzea-grandense e Luverdense) entrou com um Mandado de Garantia na Justiça de Goiás para impedir que a cota financeira por sua participação na primeira fase do torneio seja bloqueada integralmente. O Colorado tem direito junto à Confederação Brasileira de Futebol (CBF) a um valor pouco mais de R$ 400 mil pelo jogo único diante do Atlético Goianiense, partida marcada para o dia 13 de fevereiro, no estádio Luthero Lopes. Temendo não ter acesso ao montante, a diretoria pediu e foi atendida pela Justiça que apenas 30% da cota seja bloqueada para o pagamento da ação. Em dezembro passado, a defesa do jogador Rafael Silva, que defendeu o clube na temporada de 2011, entrou com ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da cidade de Aparecida de Goiânia, cobrando dívida que deixou de ser quitada junto ao seu cliente. De início, a Justiça entendeu que o valor tinha que totalmente bloqueado para a quitação da dívida. Ao alegar em sua defesa que o recurso da CBF servirá para que o clube se planeje melhor visando sua participação não só na Copa do Brasil como também para o Campeonato Mato-grossense, o União concordou em ceder parte do dinheiro. O clube destaca que o bloqueio de 100% de todo o recurso comprometeria a atividade do time nesta temporada. Por conta de ações trabalhistas na Justiça, o Colorado chegou a ficar impedido de fazer registros de jogadores na temporada passada. Na época, o clube não pode inscrever atletas da categoria sub-19 para disputar a fase semifinal do Estadual. O caso provocou imbróglio jurídico com a direção da Federação Mato-grossense de Futebol (FMF).
Fonte: Só Noticias

{{countcoment}} COMENTÁRIOS

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as perguntas mais frequentes para saber o que é impróprio ou ilegal.
{{car.nome}}
{{car.comentario}}
{{car.mais}}
{{car.menos}}